Osteoartrite de quadril: como tratar?

O que acontece quando o ombro sai do lugar?
janeiro 17, 2019
Como prevenir a ruptura do tendão de Aquiles?
janeiro 31, 2019

A osteoartrite, osteoartrose  ou desgaste do quadril é uma condição comum desenvolvida com o envelhecimento. 5 a 10% da população pode ser afetada pela doença, especialmente as pessoas  acima dos 55 anos, sendo as mulheres atingidas mais precocemente.

O quadril é formado pelo acetábulo (localizado na pélvis), em formato de concha, que recebe o encaixe do fêmur.

Os dois ossos se encaixam perfeitamente e são cobertos por uma cartilagem articular, que é lisa e escorregadia, facilitando o movimento. Esta cartilagem protege os ossos, amortecendo os impactos e movimentos realizados pelos membros inferiores. Toda esta estrutura é revestida por uma fina membrana, chamada sinóvia que, em um quadril saudável, produz uma pequena quantidade de líquido que lubrifica a articulação. Quando o paciente apresenta a osteoartrite, a cartilagem do quadril se desgasta gradualmente, tornando-se áspera, e o espaço entre os ossos diminui em função do desaparecimento da camada protetora da articulação. Assim, há o atrito de osso com osso, o que faz com ocorra um crescimento ósseo disforme que torna a articulação instável e dolorosa. Há também inflamação e enfraquecimento dos músculos e ligamentos que firmam e equilibram toda a articulação.

A doença se desenvolve lentamente e há piora da dor com o passar do tempo. Por isso, quanto mais cedo o tratamento é iniciado, mais rápido a doença será estabilizada e maiores as chances de melhora. 

Os sintomas mais comuns da OA são: 

  •  Dor no quadril, que piora ao andar, principalmente na primeira hora da manhã, ficar sentado por muito tempo ou deitar sobre a articulação afetada;
  • Rigidez na articulação que dificulta a marcha, cruzar as pernas ou dobrar as pernas (não consegue alcançar os próprios pés, vestir meias ou cortar as unhas dos pés);
  • Claudicação ( mancar durante a caminhada )
  • Dor que se estende do quadril até o joelho, podendo ser na virilha ou na região interna da coxa;
  • Dificuldade em ficar em pé ou sentado por muito tempo;
  • Dor lombar em caso de doença nos quadris bilateral. 

Os médicos não encontraram, ainda, uma causa específica para o aparecimento da osteoartrite, entretanto, alguns fatores como o avanço da idade, histórico familiar, lesão na articulação do quadril, obesidade, má formação do quadril ao nascer (conhecida como displasia do desenvolvimento do quadril) aumentam a propensão para o surgimento da doença. Existem casos em que não há nenhum dos fatores mencionados e mesmo assim a pessoa é acometida pela enfermidade. 

Os tratamentos são muitos e visam diminuir a dor e devolver a qualidade de vida para o paciente. Nos estágios iniciais, o médico pode propor mudança nos hábitos diários, principalmente aqueles que agravam a condição, como subir e descer escadas, controlar o peso, mudar atividades físicas de impacto (como correr) para atividades que não estressem a articulação (como natação e andar de bicicleta). Outro grande aliado no combate aos sintomas da doença é a fisioterapia com exercícios suaves. Exercícios que fortaleçam a musculatura do quadril também são indicados, desde que não causem impacto nas articulações. Outras medidas ainda podem ser adotadas com o objetivo de estabilizar e não sobrecarregar o quadril, como o uso de bengalas, que darão suporte aos movimentos. Também se indica o uso de medicações analgésicos e antiinflamatórios para controle da dor, usados sempre sob orientação médica.

Em alguns casos, em que os tratamentos tradicionais e não invasivos não surtem efeito, o médico pode indicar o tratamento cirúrgico, que consiste em osteotomias femorais ( atualmente está mais em desuso ) e substituir a articulação atual por uma prótese de quadril, restaurando, assim, sua função. Na maioria dos casos, a cirurgia elimina a dor e devolve a mobilidade ao paciente de forma imediata.

O quadril é uma das maiores articulações do corpo, sustentando todo o seu peso, e, geralmente, está em movimento. Portanto, qualquer doença que afete esta articulação tem um impacto enorme na vida do paciente, diminuindo sua mobilidade e sua independência. Por isso, não espere que a doença se desenvolva. Diante de qualquer sintoma sugestivo de osteoartrite, consulte nosso especialista em cirurgia do quadril, Dr. Eduardo Franciscon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *