Condropatia patelar

Osteoporose
novembro 1, 2018
Lordose, escoliose e cifose: saiba as diferenças.
dezembro 7, 2018

A patela é um osso pequeno e triangular localizado na região anterior do joelho, que se encaixa na porção final do fêmur, formando assim a articulação femoropatelar. Tem como principais funções melhorar o movimento de flexo-extensão (polia) e proteger as estruturas internas. Por possuir conexões com a maioria das estruturas articulares, acaba sofrendo com a ação de forças multidirecionais que, quando não bem equilibradas, podem ocasionar sobrecargas e, consequentemente, luxações e condropatias.

Caracterizada pela lesão da cartilagem que recobre a região articular da patela, a condropatia ou condromalácia patelar possui alta incidência, principalmente em mulheres, e aumenta com o passar da idade. É classificada em quatro graus, que são divididos em níveis progressivos de gravidade.

Nem sempre o problema é sintomático. Porém, quando o paciente apresenta sintomas, normalmente estes se caracterizam por estalos, bloqueio e dor retropatelar, agravados em atividades que aumentam a compressão entre a patela e o fêmur, como exercícios físicos que envolvem carga na flexão do joelho, subir e descer escadas ou rampas, uso prolongado de salto alto e ficar muito tempo em pé.

A causa exata da condropatia patelar ainda é desconhecida, entretanto diversos fatores podem contribuir para o seu surgimento, incluindo trauma direto, fratura, subluxação patelar, aumento do ângulo do quadríceps, instabilidade, lesão do ligamento cruzado posterior, mau alinhamento pós-traumático, amolecimento e posterior desgaste da cartilagem, fraqueza muscular e déficit do controle dos membros inferiores.

Como a lesão pode evoluir para um desgaste grave da cartilagem e para artrose precoce da articulação patelofemoral, é fundamental que o tratamento se inicie o mais breve possível. O foco principal da abordagem terapêutica é evitar a progressão da doença, já que a cartilagem praticamente não possui potencial de cicatrização, fazendo com que o dano sofrido seja irreversível.

Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária. Realizada por via artroscópica, ela tem como objetivo restabelecer a uniformidade da superfície articular, tratar a inflamação da membrana chamada sinóvia, reduzir o volume do coxim gorduroso que fica abaixo da patela e promover o realinhamento patelar.

Diante de qualquer sintoma sugestivo de condropatia patelar, consulte um de nossos especialistas em cirurgia do joelho, Dr. Gustavo Guerreiro e Dr. Daniel Betú.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *